Dúvida cruel: onde deixar o animal?

DA REDAÇÃO DO JORNAL ATRIBUNA SANTOS (02/01/2009)

As festas de fim de ano, e mesmo a chegada da temporada de verão, geralmente motivam o planejamento de uma viagem.

Seja para reencontrar a família ou para o simples lazer, fazer as malas nesta época do ano é uma prática comum e muito aguardada, sobretudo por quem está de férias.

Porém, quem tem animais de estimação, costuma enfrentar um  sério dilema nessas ocasiões: entregar o animal aos cuidados de parentes e amigos ou, então, cancelar a viagem.

Para quem não quer ou não pode fazer uma coisa nem outra, e sair despreocupado, a solução é procurar um local que ofereça abrigo, alimentação correta e, por que não diversão para o seu pet.

Ao optar por hospedar o animal em um hotel especializado, porém, o dono precisa providenciar alguns cuidados, como vermifugar e vacinar o cão ou gato, assim como higienizá-lo. "É importante também aplicar proteção contra carrapato, independentemente do local possuir jardim. Esses insetos costumam andar também em paredes, e podem contaminar o animal, provocando doenças sérias", disse o médico veterinário Eduardo Filetti, da clínica e hotel Filetti.

Após esses primeiros cuidados, a pessoa deve firmar o contrato de hospedagem. As cláusulas variam de acordo com o estabelecimento, mas  o básico consiste em informar ao local onde se hospeda o animal e seus hábitos.

"O dono deve informar o tipo de ração que costuma costuma comprar, os horários de alimentação e de medicação, as brincadeiras que ele gosta, enfim, todas as informações necessárias para que o animal se sinta o mais familiarizado o possível",  explica Rodrigo Giacomo, proprietário da Century Kennel Academy, academia e hotelaria para cães, de Praia Grande.

Giacomo diz ainda que em quase todos os locais é possível  levar a cama e os brinquedos preferidos do pet, como a bolinha ou corda de roer. "Pedimos também que o dono deixe uma peça de roupa com seu cheiro, para que o animal se sinta seguro e acolhido".

Indispensável mesmo é pesquisar vários estabelecimentos antes de se dicidir, sempre observando as instalações, rotinas dos trabalhadores e, claro, a relação custo-benefício.

"É preciso que os tratadores brinquem com os animais várias vezes ao dia, e que ele tenham espaço físico para isso. As diárias podem variar de R$ 30,00 a R$ 50,00, dependendo do local, das opções oferecidas e do porte do animal", esclarece Filetti.

Já Giacomo recomenda que, se possível, a pessoa deve deixar o animal em algum hotel na mesma cidade onde irá e hospedar. "Dessa forma ele poderá visitá-lo. O mais importante é evitar a sensação de abandono".



Data: 15/06/2011

Fonte: Jornal Atribuna Santos