Doação de sangue

Você sabia que seu cão ou seu gato podem se tornar um doador de sangue e salvar muitas outras vidas?

Assim como nós, muitos cães e gatos precisam de transfusão de sangue durante cirurgias complicadas, quando estão com anemia ou com doenças que causam sangramento como a hemofilia.

A transfusão sanguínea em Medicina Veterinária está cada vez mais se tornando realidade na prática clínica cotidiana, que tem melhorado de forma geral. É semelhante à medicina transfusional humana,  diferindo apenas quanto aos grupos sanguíneos das diferentes espécies animais. Muito do que se conhece atualmente sobre transfusão sanguínea em animais foi baseado na transfusão em humanos.

Em uma doação seu cão pode ajudar um, dois ou até três cães em situações críticas de saúde. Além disso, os cães e gatos doadores passam por uma série de exames que avaliam seu estado de saúde.

Mas infelizmente, ainda existe uma série de dificuldades para se encontrar doadores de sangue, tanto caninos quanto felinos, limitando o uso do sangue para pacientes que necessitam deste recurso, o que diminui em muito as chances de salvar a vida de um cão ou de um gato. Assim como na hemoterapia humana, a alta demanda de sangue se opõe ao baixo número de doadores.

 

Os cães e gatos também possuem tipos sanguíneos?

 

Os cães, diferentemente dos gatos e de nós, não nascem com anticorpos contra os outros tipos sanguíneos que não o seu, portanto, dificilmente, terá problemas numa primeira transfusão. Já em uma segunda transfusão, o animal já sensibilizado, poderá desenvolver reação transfusional. Por isso é importante a realização do teste de compatibilidade.

Já o sistema de grupo sanguíneos em gatos é mais simples, dividido em A, B e AB. Os gatos já nascem com anticorpos contra os tipos sanguíneos que não sejam os seus; por isso, é imprescindível, no caso dos felinos, a realização do teste de compatibilidade sanguínea, mesmo que seja numa primeira transfusão.

 

Quais os critérios para seu cão / gato ser um doador de sangue?

 

- ter um bom temperamento;

- pesar no mínimo 25 kg no caso de cães, e 4,5 Kg no caso dos gatos;

- idade entre 1 e 8 anos;

- estar bem de saúde, com vacina e vermífugos atualizados e livre de ectoparasitas (pulgas ou carrapatos);

- não ter histórico de doenças hemoparasitárias como a erliquiose (doença do carrapato).

 

Com qual freqüência o cão ou gato podem doar sangue?

 

Seguramente, a cada 2 meses!

Respeitando esta freqüência, a coleta não oferece riscos a saúde do animal e ele não precisará receber nenhuma suplementação nutricional.

 

Quais são as vantagens para o bichinho  doador?

 

As vantagens para o proprietário e para o animal são várias, dentre elas a realização periódica de exames como:

 

- Hemograma completo;

- Avaliação da função renal e enzimas hepáticas;

- Exames para as doenças infecciosas:

 

Cão: Dirofilariose (verme do coração), Leishmaniose, Brucelose (doença reprodutiva), Lyme e Erliquiose (doenças do carrapato).

 

Gato: Leucemia Viral Felina (FeLV), Imunodeficiência felina (FiV),  Mycoplasma haemofelis.

 

 

Como é realizada a doação de sangue?

 

A doação dura no máximo 10 minutos, e não causa nenhum prejuízo à saúde do animal. Além disso, o bichinho ganha muito carinho, atenção e petiscos!
A bolsa de sangue utilizada para cães é a mesma em medicina humana, podendo acomodar até 500 ml de sangue. Para gatos, a bolsa utilizada é a bolsa pediátrica humana.

 

 

Serviço

Existem ainda poucos bancos de sangue veterinários no Brasil, sendo a sua maioria concentrada na cidade de São Paulo. Você pode ajudar doando sangue do seu animal ou ainda indicando cães ou canis doadores. Lembre-se: uma única bolsa é destinada a vários animaispois dela derivam três hemocomponentes.

Tenha um cão ou gato doador de sangue e salve muitas vidas!

 

 

 

 

 



Data: 04/11/2012

Fonte: pet & life - laboratório